Confira o motivo da maioria das federações não pagarem remuneração para os campeões

A temporada do futebol brasileiro começa com os campeonatos estaduais. Essa é uma boa oportunidade para os clubes testarem os seus elencos para as demais competições, e claro, para os torcedores matarem a saudade do time do coração.

Mas quem parece não estar satisfeito com isso são os dirigentes. Isso porque as premiações deixam a desejar. Entre todas as federações dos estados brasileiros, a única que premia em valores monetários é a Federação Paulista de Futebol (FPF). 

No Campeonato Paulista, o campeão receberá R$ 5 milhões. E na 2ª divisão: Campeonato Paulista A2, o vencedor levará R$ 280 mil, além de um automóvel Kia Stonic avaliado em aproximadamente R$ 150 mil, cedido pelo patrocinador do evento. No entanto, todos os clubes poderão arrecadar com patrocínios, bilheterias, vendas e cotas de TV.

Cotas de TV

Nos outros estaduais do país, os clubes recebem apenas o valor de contrato com as emissoras pelos direitos das transmissões. Entretanto, o montante independe do desempenho das equipes na competição. Uma vez que é estipulado antecipadamente e negociado de maneira individual com os clubes.

A justificativa na ausência de premiações tem relação direta com as baixas nas cotas de TV entre emissoras e federações. Isso porque nos últimos anos, clubes e emissoras não chegaram a um acordo pelos direitos das transmissões esportivas. Nesse sentido, as federações estaduais diminuíram a arrecadação e consequentemente cortaram a premiação financeira dos vencedores.

O Campeonato Carioca ilustra esse cenário, a Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro (FERJ) não premia o clube vencedor a dois anos. Apesar disso, a expectativa para essa temporada é que o torneio tenha maior sucesso de marketing e que seja compensado ao campeão em valores monetários. Entretanto, nada foi confirmado oficialmente, se tratando de especulações.

Compartilhar Facebook Compartilhar WhatsApp Compartilhar Telegram