Os esportes radicais forçam os limites dos seres humanos e exigem uma combinação de coragem, habilidades, técnicas, condicionamento físico e controle mental

Esportes Radicais
Salto de Bungee Jump / foto: Getty Images

Os esportes radicais constituem-se em atividades de alto risco físico, que provocam a liberação de elevadas descargas de adrenalina pelo corpo em decorrência de fatores adjacentes, como altas velocidades e alturas extremas. Como resultado, esses esportes exigem dos seus praticantes o uso apenas de equipamentos seguros aprovados por órgãos reguladores, quando cabível o caso de utilizar-se deles.

A prática dos esportes radicais dá-se tanto por atividades físicas realizadas na natureza quanto nos centros urbanos, e envolvem riscos e dificuldades muito altos. São esportes que buscam dar aos participantes uma sensação de liberdade e resiliência, ao mesmo tempo em que exigem ousadia, talento e preparo físico.

Os esportes radicais caracterizam-se pelo meio onde são executados:

  • Esportes radicais aéreos, como: asa-delta, balonismo e paraquedismo, por exemplo;
  • Esportes radicais aquáticos, como: canoagem, esqui aquático, mergulho e surfe, dentre outros; e
  • Esportes radicais urbanos, como: BMX, skate, parkour e motocross, exemplificando.

Neste artigo, vamos nos aprofundar no mundo de alguns dos esportes mais radicais e explorar as peculiaridades que eles têm a oferecer.

Base Jumping

O Base Jumping é um tipo de esporte radical que envolve pular de localizações as mais altas possíveis em relação ao solo, como saltar de pontes, arranha-céus e até penhascos, enquanto utiliza-se um paraquedas para apreciar a decida suave após o seu acionamento, de forma a pousar com total segurança. A abreviação "B.A.S.E." representa os quatro tipos de locais fixos onde o salto é permitido: prédios (building), antenas (antennae), pontes (span) e montanhas (earth).

Devido aos riscos inerentes à atividade, incluindo o de perder estabilidade devido a ventos fortes, barreiras físicas, equipamentos defeituosos e erro humano, o Base Jumping é um dos esportes radicais mais arriscados, sendo sua prática estritamente controlada, como saltos calculados. Não é de se estranhar que esse esporte é proibido em diversos países, mas não é o caso do Brasil.

World Base Race Speed Competition | Birdmen Racing
Créditos: Outside Watch / YouTube

Um paraquedas principal e mais um reserva, uma mochila, um capacete, óculos de proteção e, para alguns que desejam planar por algum tempo no ar, um macacão especificamente desenhado são os equipamentos fundamentais para realizar o Base Jumping. Além disso, os praticantes precisam receber, previamente, treinamento adequado sobre o esporte Salto de Paraquedas.

Não há competições reconhecidas e regulamentadas de Base Jumping. Entretanto, os adeptos realizam encontros e eventos anuais, como o World Base Race.

Base Jumping
Atleta preparando-se para realizar o salto de Base Jumping / foto: Getty Images

Snowboard

O Snowboard é um esporte radical de inverno, no qual desliza-se pela neve em uma prancha usando fixações (bindings) entre os pés e as botas. É uma modalidade relativamente recente, criada nos Estados Unidos na década de 1960 e que se espalhou rapidamente pelo globo.

Inforgráfico Equipamentos do Snowboard
Inforgráfico sobre os Equipamentos do Snowboard / foto: Shutterstock

Quando praticado em plataformas, o Snowboard ocorre em pistas especialmente projetadas para o esporte, o qual também pode ser praticado em montanhas nevadas. O Snowboard é dividido em vários gêneros, como o “estilo livre”, que exige acrobacias e manobras frente à obstáculos.

O Melhor do Snowboard | Para os Amantes do Esportes de Inverno / Vídeo: YouTube

Este esporte radical pode ser muito estimulante, agradável e exigente em termos de habilidade, técnica e preparo físico. Os melhores snowboarders do mundo competem em vários campeonatos e eventos realizados em todo o planeta, como o Snowboarding World Cup e os X Games.

Snowboard
Snowboard / foto: CS Team

Buildering

O Buildering, muitas vezes referido como “escalada urbana”, é um esporte radical que envolve escalar edifícios, monumentos ou outras construções muitas das vezes com ausência do uso de equipamentos de segurança convencionais para evitar quedas, como cordas e atafinas (espécie de gancho análogo ao mosquetão).

Urban Climbing in Downtown São Paulo / Vídeo: Red Bull / YouTube

Este também é um considerado ilegal em diversas nações, o que pode gerar desafios para os participantes em termos de segurança e obediência aos preceitos legais vigentes.

Como a atividade é proibida na maioria dos países, não há campeonatos de Buildering oficiais. No entanto, em certas regiões citadinas, alguns grupos de praticantes promovem seus próprios torneios não oficiais e competições amadoras.

Alain-Robert-Buildering
Alain Robert praticando Buildering / foto: Shutterstock

Rapel

O esporte radical Rapel é caracterizado por descer uma parede ou alguma outra superfície vertical utilizando cordas e ferramentas especializadas. O Rapel é praticado em uma variedade de ambientes naturais, incluindo montanhas, cachoeiras e cavernas. Também é frequentemente praticado em estruturas da construção civil.

Cordas, mosquetões, freios e arneses são equipamentos necessários ao suporte e segurança durante a descida.

Rapel 2
Rapel na Cachoeira / foto: Eco Experience

O Rapel apresenta uma diversidade de vertentes, cada uma com características e dificuldades únicas. Por exemplo, o Rapel tradicional é feito em uma superfície vertical com cordas fixas, em contraste com o Rapel "Parado", que é executado em superfícies inclinadas, permitindo que o esportista desça a parede diversas vezes.

Em todo o mundo, existem competições de Rapel, incluindo a realização do próprio Campeonato Mundial de Rapel e do Campeonato Brasileiro de Rapel. A fim de aprimorar as técnicas utilizadas e promover a garantia da segurança, várias empresas e organizações também oferecem cursos de Rapel para iniciantes e até profissionais experientes.

Rapel
Rapel / foto: Getty Images

Parkour

Usando apenas as capacidades físicas do próprio corpo, o Parkour é um esporte em que o atleta se esforça para mover-se de forma rápida e contínua em ambientes estritamente urbanos. Esse esporte teve sua origem na França em meados década de 1980 e, nos anos 2000, já estava difundido em todo o mundo.

Para superar as barreiras urbanas, os praticantes do Parkour utilizam ações como pular, escalar, rolar, equilibrar e movimentos acrobáticos. Força, agilidade, resistência e coordenação são todos necessários para participar desta modalidade esportiva.

Parkour
Praticantes de Parkour / foto: Sascha Steinbach/AAP

Nenhum equipamento específico é necessário para a prática deste esporte, mas é fundamental usar roupas mais largas e calçados apropriados com bons amortecedores. Além disso, é aconselhável que os praticantes comecem com treinamento apropriado em uma academia para aprender as técnicas adequadas e sobre como prevenir lesões.

Embora existam encontros e eventos em todo o planeta, onde acontecem demonstrações e competições, não há torneios oficialmente regulamentados e devidamente instituídos.

Krystian Kowalewski | Red Bull Art of Motion 2021 Submission
Vídeo: Kowalewski Krystian / YouTube

Segurança nos Esportes Radicais

Os esportes radicais requerem uma prática que deve ser realizada com muita cautela e respeito aos limites de segurança, para que possa ser executada com sucesso e sem riscos desnecessários. Para evitar possíveis contratempos, é crucial que os profissionais sigam todas as precauções de segurança preestabelecidas.

Ressalta-se que os perigos mais frequentes associados aos esportes radicais são as lesões corporais graves causadas por choques mecânicos, torções ou quedas.

Cada modalidade tem seu próprio conjunto de diretrizes e orientações de salvaguarda. Dessa forma, o praticante deve ter cautela no que diz respeito à segurança, buscar informações por meio das aulas e tutorias e utilizar os equipamentos e recursos adequados.

Para uma prática adequada desses esportes, convém ater-se à:

  • Encontrar empresas que valorizam esse tipo de serviço de forma responsável, consciente e segura. Investigue a empresa para saber mais sobre possíveis reclamações e certificações.
  • Respeitar os limites do seu próprio corpo e o meio ambiente, conduzindo suas ações de forma cautelosa.
  • Evitar envolver-se em atividades individuais que são melhores realizadas em grupos. Previna-se de passar tempo sozinho(a) em ambientes desconhecidos, como florestas e rios.
  • Sempre avisar alguém sobre o local pretendido e o horário de retorno antes de iniciar qualquer atividade.
  • Usar materiais de alta qualidade: Para uma prática segura, cada esporte requer o uso de um conjunto específico de equipamentos.

Embora possam parecer arriscados demais, os esportes radicais oferecem uma oportunidade única de ultrapassar seus limites e realizar feitos que poucos conseguiram.

Compartilhar Facebook Compartilhar WhatsApp Compartilhar Telegram